Instituição Adesa à Federação Espírita do Espírito Santo (FEEES) e Integrante do 9º CRE, fundada em 14 de Agosto de 1979 com a finalidade de: promover o estudo, a prática e a divulgação da Doutrina Espírita e do Evangelho de Jesus à luz do Espiritismo; incentivar a prática da caridade moral e da caridade material, pelos meios disponíveis em benefício de todos, sem distinção de pessoas, raças, cor, posição social ou religião; compartilhar integralmente do Movimento de Unificação do Espiritismo.

LOCALIZAÇÃO
Av. dos Coqueiros, s/n (ao lado da Escola Balão Mágico), Bairro Coqueiral – CEP 29199-054 - Aracruz – ES

Devido a pandemia algumas atividades estão sendo realizadas de forma online.

Examina a própria aflição

Trecho do livro Religião dos Espíritos, psicografia Chico Xavier pelo espírito de Emmanuel.


Examina a própria aflição para que não se converta a tua inquietude em arrasadora tempestade emotiva.
Todas as aflições se caracterizam por tipos e nomes especiais.
A aflição do egoismo se chama egolatria.
A aflição do vício chama-se delinquência.
A aflição da agressividade chama-se cólera.
A aflição do crime chama-se remorso.
A aflição fanatismo chama-se intolerância.
A aflição da fuga chama-se covardia.

A aflição da inveja chama-se despeito.
A aflição da leviandade chama-se insensatez.
A aflição da indisciplina chama-se desordem.
A aflição da brutalidade chama-se violência.
A aflição da preguiça chama-se rebeldia.
A aflição da vaidade chama-se loucura.
A aflição do relaxamento chama-se evasiva.
A aflição da indiferença chama-se desânimo.
A aflição da inutilidade chama-se queixa.
A aflição do ciúme chama-se desespero.
A aflição da impaciência chama-se intemperança.
A aflição da sovinice chama-se miséria.
A aflição da injustiça chama-se crueldade.
Cada criatura tem a aflição que lhe é própria.
A aflição do reino doméstico e da esfera profissional, do raciocínio e do sentimento...
Corações unidos ao sumo bem, contudo, sabem que suportar as aflições menores da estrada é evitar as aflições maiores da vida e, por isso, apenas eles, anônimos heróis da luta cotidiana, conseguem receber e acumular em si mesmos os talentos de amor e paz reservados por Jesus aos sofredores da terra, quando pronunciou no monte a divina promessa:
"Bem-aventurados os aflitos".




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita no blog da CEC - Casa Espírita de Coqueiral!
Seu comentário é muito importante!